Os Fóruns efr são um grupo de reflexão e partilha para ajudar as empresas a reerguerem-se no futuro mais fortes, cientes que nada será como antes.

É com o lema que “Juntos somos mais Fortes”, que a ACEGE promove Fóruns mensais “online” onde um grupo de empresas tão diferentes partilham as suas melhores práticas.

250

Quando em Março de 2020 o Corona Vírus, entrou pelas nossas casas, nem imaginaríamos os impactos e a transformação que iria trazer para as nossas vidas.

Muita ansiedade se abateu sobre todos, muitas famílias tiveram e continuam a enfrentar, com alguma dor, os efeitos desta pandemia, em alguns casos com perda de familiares e ou amigos, mas olhando com olhos de esperança muitas coisas boas nos aconteceram de igual forma – uma onda de solidariedade, de maior humanidade, o sentido de união e partilha. Estávamos todos a “navegar” à deriva, enfrentando um inimigo invisível e com espírito de união perdemos alguma dose de individualismo e demos as mãos.

Foi com este sentimento e o lema que “Juntos somos mais Fortes”,  que a ACEGE   decidiu  promover e organizar Fóruns mensais “online”,  com um grupo de empresas certificadas em conciliação trabalho família (Empresas Familiarmente Responsáveis – efr)  alargando o seu âmbito a novas empresas, com um principal desafio de as desafiar em conjunto e num verdadeiro e transparente sentido de união, criar um grupo de reflexão, interajuda e  partilha para nos reerguermos no futuro mais Fortes, cientes que nada será como antes.

No primeiro Fórum, logo após ser decretado o 1º Confinamento, em Março de 2020, foram partilhadas as medidas que as empresas adoptaram para contornar a situação – sobretudo medidas destinadas a salvaguardar os postos de trabalho e a seguranças das suas pessoas e manter a operacionalidade da empresa, tranquilizando e dando confiança.

Os encontros prosseguiram com desafios futuros tais como aproveitar e manter a dinâmica de teletrabalho e flexibilidade, partilhando os maiores receios sobretudo do confinamento ao nível da saúde mental – convidámos Catarina Candeias, uma Psicóloga clínica para ajudar a entender este tema e ressaltou que um dos maiores receios era a dificuldade em conciliar trabalho e a escola dos filhos. Partilhámos o Guia de teletrabalho do Santander, para além de outras boas práticas das empresas.

No terceiro Fórum, sob o tema “preparar o regresso”, convidámos Edgar Sabino da empresa BEL, Maria Pinho da Bondalti, Margarida Manaia do grupo Jerónimo Martins e Rui Magalhães da Rebelo de Sousa Advogados – distintas empresas em termos sectoriais e dimensão com diferentes modelos de negócio. Foi um Fórum de partilha de exemplos de questionários internos, questões da reorganização dos espaços, das equipas, sinalética, ar condicionado, entre outros por forma a dotar as empresas de um regresso em maior segurança.

No Fórum seguinte, abordámos um tema de extrema importância – a cultura organizacional e a importância da Comunicação interna. Convidámos a Maria del Mar, Directora Comunicação da ATREVIA em Espanha, que destacou a importância do foco nas pessoas e de uma liderança inspiradora – mais próxima das pessoas, necessidade de escutar, reconhecer a mudança da forma de trabalhar, na forma das empresas se relacionarem e na forma de comunicar – “Força da Liderança e da Cultura” – uma oportunidade pois este é um Momento de Verdade e de adaptação. Principais alavancas um fluxo continuo de comunicação, acompanhamento e empatia promovendo a resiliência (4 C – Compreensão; Cercania (proximidade); Companhia; Confiança. Neste Fórum demos ainda os Parabéns à EDP pela renovação da Certificação de “Excelência e ao  Santander pelo alcance da “Excelência” na Certificação efr, reconhecimentos que o confinamento não impediu que fossem alcançados, demonstrando muito pelo contrário, como as empresas efr estão mais bem preparadas para enfrentar as crises.

E após um Verão com algum alívio, chegou o último trimestre do ano, onde se pensava que as pessoas iriam voltar aos escritórios mas com o aumento dos casos e as novas estirpes, obrigaram as empresas a implementar novas medidas e no último Fórum de 2020, analisámos em conjunto, o impacto das novas medidas no cansaço das pessoas e na sua saúde mental face ao prolongar da pandemia.

A celebração do Natal, em moldes bem diferentes dos anteriores anos e a partilha de melhores práticas para contornar este período tão especial foi de igual forma debatido – cabazes de Natal, acções sociais junto de comunidades mais desfavorecidas e até inovadoras formas de assinalar a época de Natal com a Equipas nas Empresas, desta vez utilizando plataformas à distância.

Com a entrada do novo ano de 2021 e com os casos de Covid a aumentarem de uma forma assustadora, o primeiro Fórum do ano em Janeiro, trouxe mais um momento de partilha de como as empresas estão a viver este novo Confinamento.

Todas as empresas realçaram o cansaço dos colaboradores que tiveram de voltar a ficar em casa. Houve um cuidado com o conforto físico das suas pessoas – disponibilização de cadeiras, computadores ou outro material necessário.   De uma forma geral, a totalidade das empresas reforçaram os contactos telefónicos ou por plataformas digitais para saber como se encontravam os seus Colaboradores. Houve um reforço na saúde mental e física das pessoas  retomando a  disponibilização de Consultas psicológicas e aulas (à distância) de Yoga, Pilatos, Parentalidade, uma clara aposta na redefinição de estratégia de wellbeing do colaborador. Em alguns casos, inclusivé a distribuição de um prémio por todos os colaboradores para reforçar o reconhecimento pelo seu esforço num ano particularmente difícil. Multiplicaram as acções sociais de Voluntariado, de que são exemplo telefonemas de apoio a pessoas e a distribuição, pelo Santander, por exemplo de tablet a lares de idosos por forma combater o isolamento e aproximar os idosos das suas famílias. O grupo CUF partilhou um vídeo muito emotivo e de valorização dos familiares dos colaboradores, com a seguinte mensagem: “Temos muito orgulho nos Nossos” e o Santander um filme no Natal, com os filhos dos colaboradores a desejar boas festas e a partilhar os seus desejos para 2021. Em resumo, a  Motivação das equipas tem sido  a prioridade deste grupo de Empresas.

No último Fórum, em Fevereiro a ACEGE, apresentou o Plano #Comunidade efr – um espaço de formação e partilha para ajudar este conjunto de empresas a enfrentar os seus principais problemas e desafios apontados em Fóruns anteriores. Um conjunto de propostas para colaboradores e as suas famílias subdivididas em 3 grandes categorias – sessões para as empresas  de que são exemplo o Guia de teletrabalho, Wellbeing, Mapa de medidas de conciliação, Integração de Pessoas com deficiência,  Plano de Igualdade.  Sessões para Pais e Filhos, uma forma de envolver as família com lazer com  Magia, EscapeGame, Visitas Virtuais a Museus, Música Clássica, hora da leitura e por fim  Sessões de Apoio à família,  para ajudar nas questões que as famílias se debatem actualmente –  ajudar os pais a pensarem formas de como Conciliar o trabalho com o estudo, e Potenciar a economia doméstica.

Convidámos Carolina Cruz,  Psicologa e fundadora da CMore,  especializada em consultadoria estratégica, que veio falar sobre motivação das equipas à distância – como trabalhar o propósito, a união e a identidade corporativa” – uma abordagem baseada em 4 agentes do comportamento humano para estarmos atentos dentro das nossas organizações, comuns a todas as pessoas em todas as partes do mundo – A (de Adquirir a necessidade de adaptar os sistemas de avaliação a um tema muito importante actualmente o “reconhecimnto”); B (de Bond – necessidade criar laços de humanizar de que é exemplo um simples telefonema do CEO ou Presidente da Empresa para saber da saúde de um Colaborador); C (de compreender e de ter uma maior transparência, de que é exemplo ter um  Job Description muito bem definida ou investir na Formação do Colaborador); D (de Defender/Depender com justiça, autenticidade, aumentar a comunicação interna pedindo feedback tirando dúviadas e esclarecendo). Em resumo as empresas podem ter todos os recursos, mas se a comunicação interna não for bem feita, com coragem, transparência e partilha, os colaboradores não aderem.

Em conclusão estes Fóruns representam, acima de tudo, um excelente exemplo de um grupo de empresas tão diferentes, em termos sectoriais e na sua dimensão (empresas com apenas 2 ou 3 colaboradores até multinacionais com mais de 10.000 colaboradores), mesmo empresas concorrentes que não temem partilhar as suas melhores práticas de uma forma totalmente transparente.

No futuro e com a crescente informação e conhecimento, na hora de escolher um produto ou serviço, o consumidor final não hesitará em decidir pelas empresas que, nos momentos difíceis, conseguiram preservar e estar ao lado do seu maior e melhor activo que são as suas Pessoas. E serão igualmente estas empresas que vão conseguir reter e atrair os melhores talentos, reflectindo o “Orgulho de pertença” que no final se traduz no aumento da reputação destas organizações.

Este grupo de Empresas na sua génese apresentam uma característica comum – “O Amor e a partilha como critério de Gestão” – são empresas com os seus princípios e Valores que colocam as Pessoas no centro das suas decisões e que acima de tudo fazem a diferença – são as empresas de futuro!”