Está em curso no mundo empresarial e académico uma ampla reflexão sobre as vantagens associadas à introdução do conceito de propósito organizacional (“purpose”) na gestão das companhias. Ou seja, evoluir de uma lógica apenas centrada na criação de valor acionista, pela maximização do lucro, para uma lógica que também crie valor para todos os stakeholders através da procura de um propósito comum.

Um debate que tem sido promovido e dinamizado por instituições como o Finantial Times ou a BCG, mas também pelo Insead que fez evoluir o seu foco para Business as a force for good e vários outros movimentos de reflexão a nível mundial (o VER tem vários artigos sobre o tema que dão nota desta realidade).

Este é por isso um tema da maior actualidade, com uma reflexão que se cruza claramente com a missão da ACEGE e no qual podemos e devemos introduzir o olhar da Doutrina Social da Igreja.

Um tema que trataremos no Ciclo de Almoços mensais, mas onde queremos ter também o envolvimento dos Grupos CnE, com a sua reflexão centrada na empresa, gerando assim uma maior profundidade na análise do tema, e podendo aspirar a fazermos sínteses e propostas concretas de acção.

Nesse sentido convidamos todas a participar nos almoços/debates já marcados:

23 Janeiro – Filipe Santos (Dean Catholic Lisbon) sobre “A importância do propósito nas organizações

19 de Fevereiro – João Luís César das Neves sobre “O propósito e a doutrina social da Igreja”

31 de Março – Ricardo Zózimo sobre o “O propósito e a economia de Francisco”

27 de Maio – Isabel Furtado sobre “As empresas e o propósito”

No final do semestre realizaremos um Seminário sobre o tema, onde queremos convidar os grupos CnE para fazerem apresentações em torno da vivência do tema na realidade da empresa, por exemplo: Qual deve ser o nosso papel neste processo? Como liderar? Como promover? Em que é que se traduz? Que processo seguir?

Nesse sentido convidamos cada grupo a neste semestre participar nos almoços propostos e a complementá-los com a reflexão em grupo de acordo com o seguinte esquema:

Reunião de Janeiro

Entender de forma alargada e a partir de diferentes perspectivas o que hoje está a ser desenvolvido e apresentado relativamente a Propósito Organizacional (a ideia é ser uma perspectiva mais “laica” – alavancar no que está ser publicado por Harvard, Finantial Times, BCG); perceber quais são as fontes de valor acrescentado, como se articula objectivos de propósito com a necessidade de maximizar valor para o acionista, etc. Identificar e partilhar exemplos de empresas que o estejam a fazer – de que forma, centradas em quê, com que impacto,..

Reunião de Fevereiro

Entender e discutir o que tem vindo a ser dito a este respeito e ao longo dos tempos pela Doutrina Social da Igreja – é coincidente? Está na mesma direção? Quais são as fontes? Porque é que não vingou como agora parece ter vingado? Temas de comunicação? 

Reunião de Março

Em que medida é que o Papa Francisco vem reforçar esta perspectiva? É apenas um aprofundamento ou tem diferenças substantivas? Introduz dimensões novas como a ecologia? Em concreto o que nos diz a Economia de Francisco sobre este tema? Aqui podemos alavancar nos materiais do curso.

Reunião de Abril

Em concreto que dimensões de propósito é que as nossas empresas podem seguir? Que exemplos podemos utilizar como inspiração? Focados na comunidade? Nos nossos colaboradores? Nas áreas de negócio específicas de cada empresa ou para além disso? Como estabelecemos o propósito: de forma geral ou procurando focar em temas específicos? O facto de sermos gestores católicos deve influenciar de alguma forma a natureza do propósito ou apenas incentiva a que procure percorrer este caminho com mais ânimo e intensidade?

Reunião de Maio

Como é que tudo isto cruza com os ODS? São temas semelhantes? O propósito deve incluir os ODS? Ou são paralelos? Ou está antes disso enquanto conceito de enquadramento? Que ODS devemos privilegiar?

Reunião de Junho

Qual deve ser o nosso papel neste processo? Como liderar? Como promover? Em que é que se traduz? Que processo seguir?

Fica a proposta e ficamos disponíveis para qualquer dúvida ou para apoiar a preparação de cada tema.