Núcleos da ACEGE afirmam preocupação com o impacto económico e social da pandemia

“Os empresários cristãos são chamados a ter um papel ativo e a ser sinais de confiança e esperança, em particular nos tempos que vivemos”

106

Ao iniciar um novo ano, as Direções dos diversos Núcleos da ACEGE voltaram a encontrar-se no passado dia 11 de Janeiro, em formato on-line, com o propósito de continuar a reforçar a sua proximidade e conhecimento.

Foi geral a demonstração de preocupação com o impacto económico e social da pandemia, em particular, com a reduzida dimensão dos apoios que têm chegado até ao momento às empresas.

Foi destacada a importância da ACEGE voltar a realizar uma tomada de posição pública, dando voz às preocupações dos empresários sobre os efeitos económicos e sociais da pandemia e afirmando a verdadeira fonte de toda a confiança e esperança no futuro.

“Os empresários cristãos são chamados a ter um papel ativo e a ser sinais de confiança e esperança, em particular nos tempos que vivemos”, foi uma das reflexões mais reforçadas durante o encontro. A importância de nos questionarmos diariamente sobre o que podemos fazer pelos outros.

Deste encontro saíram também propostas concretas, no sentido de promover conferências sectoriais por Núcleo e integradas no ciclo de conferências da ACEGE “Construir a Esperança na Crise”. Os núcleos reafirmaram ainda a importância do tema da Conciliação Família-Trabalho e o compromisso de aumentarem o número de empresas EfR.

O encontro terminou como começou, unindo todos os participantes em torno da oração que há 40 anos o Papa Francisco reza a S. José e que começa invocando aquele “a quem foi dado o poder de tornar possível as coisas humanamente impossíveis”.

Os Núcleos voltam a reunir-se no próximo dia 1 de Março.