Conheça São Francisco, por Frei Hermínio Araújo (da 1ª sessão do Curso “O Santo o Papa e nós”)

474

O cuidado é o nosso futuro!

A metodologia seguida é dar a conhecer São Francisco de Assis através de alguns dos seus Escritos. Há uma visão franciscana da vida, como há também uma visão franciscana da economia. A radicalidade evangélica vivida pelo Santo de Assis é o fundamento dessa visão. Tal como Jesus de Nazaré, Francisco de Assis é o Santo da contemplação e do cuidado e o pontificado do Papa Francisco está muito centrado nesta forma de ser e de viver.

  1. Cronologia

1181/1182 – Nascimento de Francisco, em Assis.

1205 – Começa a cuidar dos doentes com lepra. Experiência espiritual na igreja de São Damião, em Assis; recebe o mandato (“Vai e reconstrói a minha casa!”) e reza diante do Crucifixo (cf. Oração diante deste Crucifixo).

1206 – Renuncia à sua herança e restitui ao pai a sua roupa.

1206-1208 – Restaura a Igreja de São Damião e continua a cuidar dos doentes com lepra.

1208 – Acolhe os primeiros companheiros: Bernardo, Pedro e Gil. Decide “viver segundo a forma do santo Evangelho” (cf. Testamento espiritual 14).

1209 – Com os irmãos que a ele se juntaram, Francisco dirige-se a Roma para a aprovação da sua forma de vida, o que acontece oralmente, pelo Papa Inocêncio III.

1209/1210 – Francisco e seus irmãos fixam-se em Santa Maria dos Anjos.

1217 – Os irmãos, já presentes em muitas zonas de Itália, reúnem-se em Assis e decidem partir em missão para França, Alemanha, Hungria, Síria, Espanha e Portugal.

1219 – Francisco encontra-se com o sultão Al-Malik al-Kamil, no Egito, no contexto da Quinta Cruzada.

1220 – Martírio de cinco Frades em Marrocos, acontecimento que esteve na origem da vocação franciscana de Santo António de Lisboa. Redação de algumas das suas Cartas, como é o caso da Carta a um Ministro.

1221 – Redação da Regra não bulada.

1223 – Redação e aprovação da Regra franciscana, pelo Papa Honório. A Ordem dos Frades Menores é oficialmente reconhecida pela Igreja. Francisco celebra o Natal em Greccio.

1224 – Experiência mística no monte Alverne (estigmatização). Relacionados com esta experiência de Francisco, os Louvores a Deus e também a Bênção a Frei Leão.

1225 – Em São Damião, compõe a primeira parte do Cântico das Criaturas.

1226 – Dita as últimas estrofes do Cântico das Criaturas e o Testamento espiritual. Morre em Santa Maria dos Anjos, na tarde do dia 3 de outubro.

1230 – Seu corpo é trasladado para a Basílica com o seu nome, em Assis (é neste lugar que o Papa Francisco assina a encíclica “Fratelli tutti”, no dia 3 de outubro de 2020).

Nos últimos 100 anos, algumas datas relacionadas com Francisco:

1926/7 – Celebração dos 700 anos da sua morte, ponto de chegada e partida de muitos estudos sobre ele. Em Portugal, Leonardo Coimbra publica os seus textos sobre São Francisco de Assis e a Visão Franciscana da Vida.

1986 – Encontro de várias religiões em Assis, a convite do Papa São João Paulo II, no dia 27 de outubro.

2002 – Proclamado, pelas várias religiões, o Decálogo de Assis para a Paz, no dia 24 de janeiro, com a presença do Papa São João Paulo II.

2011 – Encontro comemorativo dos 25 anos do “Espírito de Assis”, no dia 27 de outubro, convocado pelo Papa Bento XVI.

2015 – Encíclica “Laudato si’” sobre o cuidado da casa comum, do Papa Francisco (texto inspirado em São Francisco).

2019 – Carta do Papa Francisco para o evento “The Economy of Francesco”, dia 1 de maio (nesta mensagem, o Papa relaciona o seu desejo de uma “nova economia” com o “espírito de Assis”).

2020 – Encíclica “Fratelli tutti” sobre a fraternidade e a amizade social, do Papa Francisco (texto inspirado em São Francisco; um texto sobre o cuidado da fraternidade e da amizade social).

  1. Escritos

Podemos dividir ao Escritos de Francisco em cinco grupos:

  1. Orações: Oração diante do Crucifixo de São Damião; Louvores ao Deus Altíssimo; Bênção a Frei Leão; Cântico das Criaturas (sobretudo esta oração que inspira a encíclica “Laudato si’”).

  2. Cartas: Carta a todos os fiéis (1 e 2); Carta a um ministro.

  3. Avisos espirituais: Exortações espirituais (são palavras de vida com sabor a Evangelho, como diz o Papa Francisco no início da encíclica “Fratelli tutti”).

  4. Textos legislativos: Regra não bulada (Primeira Regra); Regra bulada (Segunda Regra).

  5. Últimas recomendações: Testamento espiritual (a primeira parte é de grande importância para “A Economia de Francisco”).

De cada grupo, estes são os textos mais significativos para “A Economia de Francisco”:

Conteúdo do Testamento espiritual – Na primeira parte, Francisco termina com a saudação da paz, realidade central na sua experiência espiritual. Na segunda, evidencia a consciência de ser mestre espiritual dos irmãos e educador da fraternidade. Na terceira, abençoa os seus irmãos. De realçar:

  • “Fazer penitência”: conversão evangélica;

  • “Usei de misericórdia” para com os leprosos / “fiz misericórdia” / compaixão;

  • “Saí do mundo” / saí do meu mundo egoísta para entrar no mundo dos outros para os ajudar;

  • Vida contemplativa centrada na Cruz;

  • Cuidado dos irmãos, na radicalidade evangélica;

  • “Preço do trabalho” e realização;

  • A paz é a sua missão;

  • Uma das afirmações mais significativas: «Depois que o Senhor me deu o cuidado dos irmãos, ninguém me ensinava o que devia fazer; mas o mesmo Altíssimo me revelou que devia viver segundo a forma do santo Evangelho.» (Testamento espiritual 14).

Conteúdo do Cântico das Criaturas:

a) Cântico do homem reconciliado consigo, com o mundo e com Deus. Nasceu num contexto de sofrimento; muito doente e com muitos problemas em relação à Ordem. A primeira (Altíssimo) e as últimas palavras (grande humildade). O homem só não é digno de louvar; une-se a todas as criaturas para o louvor. O cântico dos seres em comunhão com o Ser. O primado da ontologia na visão franciscana da vida.

b) O sol em primeiro lugar. Depois a lua e as estrelas. E depois os quatro elementos (vento, água, fogo, terra). A terra nossa irmã e mãe que nos sustenta e governa.

c) O ser humano: perdão e compaixão (suportar no sofrimento, ser suporte: é o verbo da compaixão).

d) “Nossa irmã morte”: faz parte da vida. A morte e o morrer. Viver tudo o que há para viver, até ao fim.

Para aceder ao conteúdo dos escritos na íntegra:

Para concluir, a Economia de Francisco é uma Economia de Fraternidade: centrada na pessoa e no bem comum, a vida “sem próprio”, livre em relação aos bens, para fazer deles um meio para o bem de todos. Na visão franciscana da vida, “riqueza ou salvação” não faz sentido, mas sim “riqueza e salvação”: os bens e a virtude evangélica da pobreza estão ao serviço da fraternidade.

A Economia de Francisco é a do Cuidado dos Irmãos: porque é o nosso passado, o cuidado é o nosso presente e o nosso futuro!