Ética

O que é a ética organizacional

0 21825

A ética organizacional é uma forma de ética aplicada. O seu objectivo é incutir um sentido nos gestores e colaboradores de determinada organização sobre como devem gerir e realizar o seu trabalho com responsabilidade. Devido ao facto do termo “ética” não ser utilizado da mesma forma em todos os contextos internacionais, são várias as empresas que optam por reformular o seu conceito de ética nos negócios denominando-o como integridade, boas práticas de negócio ou conduta eticamente responsável

O VER reuniu alguns conceitos e princípios de base inerentes à noção de ética organizacional

A Ética Empresarial
“Ser ético é fazer algo que me beneficie e que, no mínimo, não prejudique o próximo”.
Longe vai o tempo em que as empresas apenas eram orientadas para o lucro, tentando maximizá-lo sem restrições e em que a sua eficiência produtiva se avaliava somente em função do volume de riqueza que conseguissem acumular.

Nos últimos anos alterou-se profundamente a visão citada anteriormente, passando as empresas, primeiramente, por uma fase de compromisso ético directamente relacionado com o cumprimento da lei, não simplesmente para evitar a imposição de alguma sanção, mas também como um dever.
Actualmente a ética empresarial evoluiu, baseando-se na definição de regras e princípios genericamente aceites no mundo dos negócios. As empresas tornaram-se mais conscientes das suas actividades e das suas responsabilidades, adoptando posturas que visam maximizar os lucros sem prejudicar os restantes agentes económicos e reforçando a ideia de que as empresas possam contribuir positivamente para a sociedade e, nomeadamente, para todos os seus stakeholders.

Em suma, a ética empresarial fornece linhas mestras para um comportamento adequado tanto em termos de formulação estratégica como para as suas operações diárias. Uma abordagem ética é cada vez mais necessária tanto para o sucesso empresarial como para a imagem positiva de uma empresa. No seguimento das pressões exercidas pelos consumidores que clamam por práticas de negócio eticamente responsáveis, são muitas as organizações que estão a optar por fazer um compromisso público através da formulação de códigos de conduta e práticas responsáveis. E, ao se comprometerem, são obrigadas a traduzir em acções os seus conceitos de responsabilização pessoal e empresarial.

A ética na vida das empresas tem de ser compreendida, vivida e difundida em dois níveis:

  • Como uma reflexão crítica das estratégias e tácticas de uma organização em termos do contexto moral e do sistema de valores da sociedade que a circunda
  • Como uma reflexão crítica do comportamento interno e da cultura de uma organização e do relacionamento entre os valores dos seus colaboradores relativamente ao sistema de valores dessa mesma organização.

A ética como elemento crucial para a edificação dos relacionamentos humanos
O pensamento subjacente a uma empresa é representado pelos seus princípios. Os princípios éticos reflectem os valores da empresa, determinados a partir do contexto de valores dos seus stakeholders e da sociedade em que está inserida.

Gerar lucro não significa, simplesmente, fazer dinheiro a curto prazo, mas sim e de uma forma crescente, estabelecer relacionamentos sustentáveis com a sociedade para assegurar o retorno a longo prazo.
Cada empresa é feita de pessoas, depende de pessoas e serve pessoas e a ética deve constituir um elemento crucial na edificação dos relacionamentos humanos. Ao estabelecer valores claros e princípios para o negócio, cada decisão tomada pela empresa pode (e deve) estar alinhada com os seus propósitos estratégicos.

Princípios éticos na tomada de decisão
A ética empresarial pode ser definida como o estudo e avaliação do processo de tomada de decisão de acordo com conceitos morais e de bom senso. A ética organizacional tanto pode incluir questões práticas e bem definidas como a obrigação de uma empresa ser honesta para com os seus clientes como assuntos socialmente mais latos e filosóficos, como a responsabilidade de preservar o ambiente e proteger os direitos dos seus empregados.

Muitos conflitos éticos derivam dos interesses divergentes dos accionistas das empresas relativamente aos seus trabalhadores, clientes e comunidade envolvente.

Os gestores têm de ser capazes de encontrar um equilíbrio entre o idealismo e o pragmatismo – ou seja, a necessidade de produzir um lucro razoável para os seus accionistas a partir de práticas de negócio honestas, segurança no local de trabalho, sem esquecer questões de dimensão mais ampla como o ambiente e a sociedade.

Os dilemas éticos nos negócios têm vindo a adquirir uma complexidade crescente devido à natureza global e diversificada de empresas de grande dimensão a par das crescentes regulamentações governamentais que definem os limites do comportamento criminoso.
Por exemplo, são muitas as multinacionais que operam em países nos quais o suborno, o assédio sexual, a discriminação racial e a ausência de preocupações ambientais não são consideradas ilegais, mas sim práticas comuns.

Nestes casos, a empresa  terá de decidir se se mantém fiel aos seus princípios éticos ou se se limita a ajustar-se às regras locais para maximizar os seus lucros.
Como os crimes organizacionais podem ter um preço demasiado elevado, tanto para a sociedade como para as próprias empresas, muitas organizações e associações comerciais estabeleceram códigos de ética para as empresas, gestores e empregados.

Para saber em pormenor o desenvolvimento da ética empresarial  enquanto conceito leia:
A Ética no contexto empresarial
A ética aplicada às organizações
As ambiguidades da ética empresarial
© 2007 – Todos os direitos reservados.