Opinião

Lições de vida

0 492

Através da leitura de uma revista especializada, tive oportunidade de conhecer o testemunho de nove empresários sobre a atitude a adoptar perante a gestão empresarial e a consolidação de uma carreira profissional.

                         

Os referidos testemunhos – em forma de carta – foram dedicados a jovens gestores, em início de carreira. Pretende-se, no fundo, resumir os factos e as atitudes mais significativas que o percurso profissional e a vida empresarial ensinaram a alguns dos mais relevantes empresários portugueses, com experiência profissional obtida em sectores de actividade completamente distintos entre si: Adolfo Roque (Revigrés), Alberto da Ponte (Centralcer), Horácio Roque (Banif), Horta Osório (Grupo Santander), Jorge Armindo (Amorim Turismo), José Penedos (REN), Luís Portela (Bial), Murteira Nabo (Galp Energia) e Rui Nabeiro (Delta Cafés).

Verifiquei existirem, em todos eles, mensagens implícitas e alguns pontos que, sendo comuns, devem merecer uma atenção especial, que gostaria de partilhar com os meus estimados leitores.

Vejamos, então:

  • Deve existir uma estratégia, inerente a objectivos pessoais e profissionais, assentes em valores sólidos;
  • Devemos proceder à subcontratação de tudo o que for possível, pois é a melhor forma de ter os input disponíveis nas melhores condições em termos de quantidade, ritmo e qualidade e, por norma, a custos mais interessantes;
  • Devemos privilegiar a manutenção de uma vida saudável, complementar à vida profissional, onde é bom manter o equilíbrio alimentar e o exercício físico regular, assim como manter um espaço para a família e, sempre que possível, para a informação e para a cultura;
  • Devemos resistir à tentação de considerar igual o que é diferente, estar aberto à novidade e à comunicação, sabendo ouvir todos, garantindo um exercício independente e nunca confundir o interesse da empresa com quaisquer outros interesses;
  • O sucesso virá com trabalho, com dedicação, com espírito crítico e uma permanente curiosidade e abertura pela inovação, aprendendo a pensar, a cultivar o inconformismo e a vontade de gerir riscos;
  • Devemos viver cada momento atentamente, mas sem a obsessão de controlá-lo desesperadamente, sabendo arrumar e perspectivar os assuntos, encontrar prioridades, ver a árvore sem perder de vista a floresta;
  • É essencial manter, em permanente actualização, uma rede de contactos e conhecimentos, acompanhando a competitividade do mercado e identificando novas oportunidades e novas soluções; 
  • Devemos ser transparentes e esclarecedores sobre o que queremos e esperamos de cada colaborador, definindo objectivos, responsabilizando e premiando os sucessos alcançados;
  • O carácter de cada um é decisivo: ser gestor implica capacidades de relacionamento e de liderança, angariando o respeito dos superiores, dos seus pares e dos seus colaboradores.

Em síntese, para além da formação e das competências adquiridas, há factores que, quaisquer que sejam as circunstâncias, fazem a diferença: o carácter, a atitude e o comportamento.

Estes são aqueles princípios que, não fazendo parte de qualquer programa curricular, são adquiridos com o decorrer do tempo e com a experiência acumulada, sendo indispensável a pré-disposição para recebê-los e a atitude necessária para implementá-los… Verdadeiras lições de vida!

Pedro Vaz Serra

http://www.acege.pt/Lists/docLibraryT/Attachments/91/PedroVazSerra.jpg

ARTIGOS RELACIONADOS