Em Destaque

A ACEGE na Diocese de Setúbal

0 358

Teve lugar no passado dia 29 de junho e na presença do Bispo da nossa Diocese, D. José Ornelas o encontro de apresentação da ACEGE, movimento que procura promover boas práticas na gestão, baseadas em valores e na ética cristã que ajudem cada empresa / organização a criar mais valor para todos os que se relacionem com ela (acionistas, trabalhadores, clientes, comunidade…).

O programa teve início com a celebração da eucaristia presidida pelo nosso Bispo no santuário do Cristo-Rei, seguindo-se um jantar debate com as intervenções de Jorge Libano Monteiro, Secretário-geral da ACEGE- Associação Cristã de Empresários e Gestores e de D. José Ornelas.

Estiveram presentes mais de cinquenta empresários e gestores em representação das mais diferentes atividades económicas do Distrito de Setúbal, mostrando-se disponíveis para ouvir Jorge Libano referir que a Missão da ACEGE é inspirar líderes a mobilizar a comunidade para viver o Amor e a Verdade no mundo económico e empresarial, pretendendo, pelo seu trabalho e dedicação, a criação e distribuição de valor, a promoção da dignidade de cada pessoa e a construção do bem comum, tornando-se, assim, co-participantes na Criação.

Na oportunidade, Jorge Libano referiu, ainda, os três propósitos fundamentais da ACEGE:

  1. Inspirar os membros e os líderes empresariais com critérios de Gestão e Liderança cristãos, através dos grupos “Cristo na Empresa”, como testemunho do que significa o Amor como critério de Gestão e como isso é transformador na vida das pessoas; pessoas que transformam, com o seu testemunho, a vida das empresas e estas, por sua vez, são transformadoras da sociedade.
  2. Transformar a sociedade; ser sinal de Esperança, através de iniciativas como: “Fundo Bem Comum”; “compromisso pagamentos pontuais” como mínimo ético empresarial, porque está demonstrado que o pagamento atrasado entre empresas destrói emprego todos os dias, ou seja, destrói famílias indefesas todos os dias, (cerca de mil empresas assumiram, desde já, este compromisso); “equilíbrio família / trabalho”, promovendo a conciliação entre a vida pessoal e profissional, procurando o ponto de equilíbrio que garanta a harmonia entre a dimensão familiar e o trabalho; a dinamização do Código de Ética; uma nova cultura de gestão e de liderança servidora.
  3. Sustentar a ação: reforçando a proposta de valor para as pessoas e organizações e fazendo-o de forma sustentada e coerente, não só crescendo no número de associados (atualmente mais de 1 500 empresários e gestores), mas fundamentalmente ser sustentável no exercício dos valores que a Associação defende e acredita.

O encontro encerrou com a intervenção de D. José Ornelas que, na circunstância, se congratulou com a disponibilidade dos empresários e gestores presentes, salientando que a prática pastoral não pode separar a dimensão espiritual e social, antes pelo contrário, tem de tocar realidades como o trabalho, a família, o bem comum e a economia.

Mais à frente, o Sr. Bispo de Setúbal fez alusão a um tema que lhe é, particularmente, próximo: o cuidar. Na circunstância, afirmou que a “nova evangelização” da Igreja tem de passar pelo compromisso efetivo no campo político e económico, pelo compromisso do cuidado desinteressado – responsável, empenhado, cristão – e transparente pelo bem comum.

Os empresários e gestores cristãos, nomeadamente os católicos, têm de ser cuidadores e não predadores, têm de adaptar a mensagem cristã às condições atuais do mundo da economia e do trabalho e têm de ser transformadores da realidade no mundo em que vivemos.

Por último, acalentou a esperança de ser possível a criação de um núcleo da ACEGE na Diocese de Setúbal, convidando os presentes a mobilizarem-se na sua criação e concretização.

Para mais informação sobre a ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores ou inscrições, consultar www.acege.pt

Carlos Grade